Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

2.1: A Tabela Periódica e Elementos Orgânicos
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
The Periodic Table and Organismal Elements
 
TRANSCRIÇÃO

2.1: A Tabela Periódica e Elementos Orgânicos

Visão Geral

Os elementos são as menores unidades de matéria que não podem ser reduzidas ainda mais por processos químicos. Existem 118 elementos conhecidos, mas nem todos existem naturalmente, e menos ainda são essenciais para a vida. A matéria viva é composta principalmente por carbono, nitrogénio, hidrogénio e oxigénio, com quantidades menores de outros elementos como cálcio, fósforo, potássio e enxofre. Outros elementos também são necessários para a vida, mas apenas em quantidades vestigiais.

A Tabela Periódica Fornece Informações Sobre as Propriedades Físicas e Químicas dos Elementos

A tabela periódica organiza elementos com base nas suas propriedades físicas e químicas. O número atómico de um elemento corresponde ao número de protões encontrados no seu núcleo, e cada quadrado da tabela periódica também indica o nome completo, símbolo químico e peso atómico de um elemento. O número de protões fornece informações sobre o tamanho de um elemento, mas não é o único princípio organizacional subjacente à estrutura da tabela periódica. Os elementos estão organizados em colunas (grupos) e linhas (períodos) com base em outras propriedades físicas e químicas, como a reatividade, a localização dos seus eletrões mais externos e a capacidade de fazerem certos tipos de ligações. Elementos do mesmo grupo (ou seja, coluna) variam de tamanho, mas têm muitas propriedades químicas em comum entre si. Em contraste, os elementos do mesmo período (ou seja, linha) são mais semelhantes em tamanho e têm os seus eletrões localizados em lugar semelhante, mas variam muito nas suas propriedades químicas.

Elementos Principais e Elementos Vestigiais Compõem o Corpo Humano

Toda a vida na Terra contém os elementos oxigénio, carbono, hidrogénio e nitrogénio. Mais precisamente, 96% do corpo humano é composto por esses quatro elementos. Os 4% restantes são compostos principalmente por cálcio, fósforo, potássio, enxofre, sódio, cloro e magnésio, em ordem de abundância relativa. Além disso, alguns elementos são essenciais para os seres humanos, mas são encontrados no corpo em quantidades inferiores a 0,01%; estes são chamados de elementos vestigiais. Embora estejam presentes apenas em pequenas quantidades, os elementos vestigiais são na mesma críticos para a saúde. O ferro, por exemplo, desempenha um papel essencial nos glóbulos vermelhos, ajudando a ligar oxigénio para que este possa ser transportado por todo o sistema circulatório. Muito pouco ferro pode resultar em anemia por deficiência em ferro, que é caracterizada por sintomas que decorrem da falta de oxigénio, incluindo fadiga, falta de ar, fraqueza e ritmos cardíacos irregulares.

Alguns Elementos São Prejudiciais Para os Organismos Vivos

Alguns elementos têm efeitos prejudiciais à saúde mesmo em pequenas doses. O mercúrio, por exemplo, é um dos vários metais pesados que podem produzir uma série de sintomas em pequenas doses—dependendo do tecido afetado—e causa a morte em doses maiores. Pode acumular-se nos tecidos de organismos multicelulares ao longo do tempo, pelo que a exposição repetida é uma preocupação. Novas formas de remover contaminantes de metais pesados do ambiente usando métodos biológicos—biorremediação—exigem investigação para entender tanto a química dos contaminantes como a biologia dos primeiros organismos que eles afetam. Metais pesados frequentemente entram na cadeia alimentar ao nível dos produtores primários antes de afetarem organismos em níveis tróficos mais altos, como os humanos.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter