Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

5.3: O Modelo de Mosaico Fluido
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
The Fluid Mosaic Model
 
TRANSCRIÇÃO

5.3: O Modelo de Mosaico Fluido

O modelo de mosaico fluido foi proposto pela primeira vez como uma representação visual de observações de investigação. O modelo compreende a composição e a dinâmica das membranas e serve de base para futuros estudos relacionados com a membrana. O modelo retrata a estrutura da membrana plasmática com uma variedade de componentes, que incluem fosfolípidos, proteínas e carboidratos. Essas moléculas integrais são ligadas fracamente, definindo a borda da célula e fornecendo fluidez para um funcionamento ideal.

Lípidos

O componente mais abundante do modelo de mosaico fluido são os lípidos. Os lípidos incluem fosfolípidos e colesteróis. Os fosfolípidos são anfipáticos, tendo partes hidrofóbicas e hidrofílicas. Eles consistem em uma cabeça hidrofílica, amante da água, e duas caudas hidrofóbicas—repelentes da água—com ácidos gordos. Os fosfolípidos formam espontaneamente uma bicamada lipídica que separa o interior do exterior da célula. A bicamada lipídica consiste nas caudas hidrofóbicas voltadas para dentro e as cabeças hidrofílicas voltadas para o ambiente aquoso dentro e fora da célula. Os colesteróis são uma classe de esteróides que desempenham um papel na regulação da fluidez e flexibilidade da membrana. A fluidez da membrana facilita o transporte de moléculas e iões específicos através da membrana plasmática.

Proteínas

O segundo componente principal do mosaico são as proteínas. As proteínas podem associar-se diferencialmente com a bicamada lipídica. Por exemplo, algumas estão totalmente integradas na membrana, como as integrinas que servem como receptores transmembranares, e transportam proteínas que carregam moléculas através das membranas. Tais proteínas integradas são referidas como proteínas integrais. Outras proteínas só podem ser encontradas na superfície da célula ou no citosol, como é o caso dos receptores de estrogénio. Essas proteínas são referidas como proteínas periféricas.

Carboidratos

O último componente do modelo de mosaico fluido são os carboidratos. Eles estão localizados na superfície externa da membrana onde estão ligados a proteínas para formar glicoproteínas, ou a fosfolípidos para formar glicolípidos. Esses complexos de carboidratos são chamados de glicocálix—o revestimento de açúcar da célula. Alguns carboidratos no mosaico também desempenham papéis essenciais como marcadores permitindo que as células diferenciem entre próprias (células do mesmo organismo) e não próprias (células ou partículas intrusas ou desconhecidas).

Juntos, esses componentes criam a membrana plasmática de uma célula, com uma espessura que varia entre entre cinco a dez nanómetros. As membranas plasmáticas interagem com seu ambiente para realizar muitos processos essenciais para manter a função celular e a homeostase.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter