Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

11.2: Meiose I
TABLE OF
CONTENTS

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Meiosis I
 
TRANSCRIPT

11.2: Meiosis I

11.2: Meiose I

Meiosis is a carefully orchestrated set of cell divisions, the goal of which—in humans—is to produce haploid sperm or eggs, each containing half the number of chromosomes present in somatic cells elsewhere in the body. Meiosis I is the first such division, and involves several key steps, among them: condensation of replicated chromosomes in diploid cells; the pairing of homologous chromosomes and their exchange of information; and finally, the separation of homologous chromosomes by a microtubule-based network. This last step segregates homologs between two haploid precursor cells that may subsequently enter the second phase of meiosis, meiosis II.

Crossing Over and the Synaptonemal Complex

The exchange of equivalent segments between homologous chromosomes occurs early on during meiosis I, and is referred to as crossing over. This process relies on the close association of such homologs, which are drawn together by the formation of a connective protein framework called the synaptonemal complex between them. To function correctly, the complex requires three parts: (1) vertical lateral elements, which form along the inward-facing sides of two juxtaposed homologous chromosomes; (2) a vertical central element positioned between the chromosomes; and (3) transverse filaments, or horizontal protein threads that connect the vertical and central components. The result has often been compared to a ladder, with the lateral elements serving as the legs and the transverse filaments akin to rungs. Importantly, the synaptonemal complex helps to precisely align homologous chromosomes, enabling crossing over between equivalent stretches of genetic material; however, this framework is transient, with most of it dissolving after such recombination occurs.

Meiosis and Chromosomal Abnormalities

Meiosis is a complicated process, and errors can happen despite cellular safeguards. Occasionally, such mistakes are the result of nondisjunction, where chromosomes are not evenly partitioned between cells. During meiosis I, this means that a pair of homologous chromosomes may end up in one of the two resulting cells, while the other lacks the chromosome altogether. When the precursor that received both homologs enters and completes meiosis II, both daughter cells formed possess two copies of the chromosome in question, rather than the single copy expected.

One of the more well-known results of nondisjunction occurring during meiosis I is trisomy 21, in which an individual has three copies of chromosome 21. Commonly known as Down syndrome, this condition is characterized by distinct facial features, developmental delays, and heart defects. Although the exact cause of nondisjunction resulting in Down syndrome and other trisomies is variable, it may be the result of problems with the microtubule apparatus that separates the chromosomes, or defects in proteins that join chromosomes together.

A meiose é um conjunto cuidadosamente coordenado de divisões celulares, cujo objetivo—em humanos—é produzir espermatozóides ou óvulos haplóides, cada um contendo metade do número de cromossomas presentes nas células somáticas de outras partes do corpo. A meiose I é a primeira divisão desse tipo, e envolve vários passos-chave, entre eles: a condensação de cromossomas replicados em células diplóides; o emparelhamento de cromossomas homólogos e sua troca de informações; e, por fim, a separação de cromossomas homólogos através de uma rede baseada em microtúbulos. Esta última etapa segrega os homólogos entre duas células precursoras haplóides que podem entrar posteriormente na segunda fase da meiose, a meiose II.

Cruzamento Cromossómico e o Complexo Sinaptonémico

A troca de segmentos equivalentes entre cromossomas homólogos ocorre cedo durante a meiose I, e é referida como cruzamento cromossómico. Esse processo conta com a estreita associação desses homólogos, que são unidos pela formação de uma estrutura proteica de conexão chamada complexo sinaptonémico entre eles. Para funcionar corretamente, o complexo precisa de três partes: (1) elementos laterais verticais, que se formam ao longo dos lados virados para dentro de dois cromossomas homólogos justapostos; (2) um elemento central vertical posicionado entre os cromossomas; e (3) filamentos transversais, ou fios horizontais de proteína que ligam os componentes verticais e centrais. O resultado tem sido frequentemente comparado com uma escada, com os elementos laterais a fazerem de pernas e os filamentos transversais semelhantes aos degraus. É importante ressaltar que o complexo sinaptonémico ajuda a alinhar os cromossomas homólogos com precisão, permitindo o cruzamento cromossómico entre porções equivalentes de material genético; no entanto, esta estrutura é transitória, sendo a maior parte dissolvida após tal recombinação ocorrer.

Meiose e Anormalidades Cromossómicas

A meiose é um processo complicado, e podem ocorrer erros apesar das salvaguardas das células. Ocasionalmente, esses erros são o resultado de não-separação, em que os cromossomas não são igualmente divididos pelas as células. Durante a meiose I, isso significa que um par de cromossomas homólogos pode acabar em uma das duas células resultantes, enquanto que a outra não tem o cromossoma de todo. Quando o precursor que recebeu ambos os homólogos entra e completa a meiose II, ambas as células filhas formadas possuem duas cópias do cromossoma em questão, em vez da cópia única esperada.

Um dos resultados mais conhecidos de não-separação que ocorre durante a meiose I é a trissomia 21, na qual um indivíduo tem três cópias do cromossoma 21. Comumente conhecida como síndrome de Down, esta condição é caracterizada por características faciais distintas, atrasos no desenvolvimento e defeitos cardíacos. Embora a causa exata da não-separação que resulta em síndrome de Down e outras trissomias seja variável, pode ser o resultado de problemas com o aparelho de microtúbulos que separa os cromossomas, ou defeitos em proteínas que unem os cromossomas.


Suggested Reading

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter