Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

21.6: Eixo Hipotálamo-Pituitária
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Hypothalamic-Pituitary Axis
 
TRANSCRIÇÃO

21.6: Eixo Hipotálamo-Pituitária

A resposta ao stress—seja física ou psicológica, aguda ou crónica—envolve a ativação do eixo Hipotalâmico-Pituitário-Adrenal (HPA). O eixo HPA faz parte do sistema neuroendócrino porque envolve comunicação neuronal e hormonal. A sua função é regular sistemas homeostáticos—metabólicos, cardiovasculares e imunitários—fornecendo os meios necessários para responder a um fator de stress.

O Que Acontece Durante o Stress

Em resposta ao stress, os neurónios do hipotálamo libertam a hormona libertadora de corticotropina, ou CRH, na corrente sanguínea. A CRH faz uma curta viagem até a glândula pituitária, onde estimula a libertação da hormona adrenocorticotrópica, ou ACTH. O local de ação para a ACTH são as glândulas suprarrenais que se encontram à superfície dos rins. Quando estimuladas, as glândulas suprarrenais libertam dois tipos de mensagens de stress.

A estimulação neural inicia a primeira mensagem—a libertação de epinefrina e norepinefrina da medula adrenal. Isso ativa o sistema nervoso simpático, resultando em alta frequência cardíaca, fluxo sanguíneo e respiração—processos criados para ativar estados de alerta e estimulação. Esses dois químicos também são chamados de adrenalina e noradrenalina, respectivamente.

A ACTH inicia a segunda mensagem—a libertação de glicocorticóides pelo córtex adrenal. Em humanos, o cortisol é a principal hormona envolvida na resposta ao stress. Enquanto que as primeiras mensagens estimulam sistemas, as segundas mensagens fortificam alguns sistemas e inibem outros sistemas não vitais. O cortisol mobiliza reservas de combustível de glicose e promove a gliconeogénese através do catabolismo dos ácidos gordos e proteínas. Também inibe temporariamente as respostas imunes e inflamatórias. Então, quando os níveis de cortisol sanguíneo atingem um certo limiar, ele desencadeia um ciclo de feedback negativo que inibe tanto o hipotálamo como a atividade pituitária. Isso desativa o eixo HPA e pára a resposta ao stress.

A ativação crónica do eixo HPA, seja através de stress crónico ou stress agudo crónico, pode levar a um esgotamento do cortisol. Uma vez que o cortisol tem múltiplas funções durante períodos de stress e não stress, isso pode levar a dor crónica, depressão, infertilidade, e pode desempenhar um papel no abuso de substâncias e no vício.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter