Waiting
Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

23.2: Estrutura dos Rins
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Kidney Structure
 
TRANSCRIÇÃO

23.2: Estrutura dos Rins

Os rins são dois grandes órgãos em forma de feijão localizados no abdómen superior. Eles filtram o sangue várias vezes por dia para remover toxinas e reequilibrar água e eletrólitos do sistema circulatório através das veias renais. Os rins recebem sangue diretamente do coração através das artérias renais. Essas artérias entram no rim no hilum, a superfície côncava do feijão, onde se ramificam e se dividem em vasos menores e capilares.

O córtex renal é a espessa camada externa do rim. Ele abriga corpúsculos renais, onde capilares entram em contato próximo com a extremidade de um túbulo renal. O fim do túbulo, ou cápsula de Bowman, envolve uma rede de capilares que parece uma bola, o glomérulo. Este arranjo incomum dos capilares aumenta a área da superfície onde a extremidade do túbulo renal e os capilares interagem. Da cápsula de Bowman, os túbulos contorcidos estendem-se até à Ansa de Henle na medula renal, o tecido sob o córtex renal.

Intrusões corticais estruturam a medula em múltiplas pirâmides renais. O ápice de cada pirâmide aponta para a área do hilum, drenando assim os ductos colectores em cálices na pélvis renal. À medida que a pélvis enche, a urina é esvaziada no ureter. O ureter liga os rins à bexiga, onde a urina é armazenada antes de ser eliminada.

O corpúsculo renal, os túbulos contorcidos proximais e distais, a Ansa de Henle, e os ductos colectores formam um nefrónio, a unidade funcional do rim. O nefrónio filtra sangue para reabsorver água e eletrólitos, e excretar toxinas. Há aproximadamente 1 milhão de nefrónios em cada rim humano.

Quando uma pessoa doa um rim, reduzindo pela metade o número de nefrónios, o rim que resta compensa, aumentando em tamanho e volume. Os dadores podem levar vidas saudáveis após a doação sem um risco aumentado de mortalidade. No entanto, alguns dadores podem desenvolver pressão alta, pois o único rim tem de realizar o trabalho de dois.

As pedras nos rins são resultado da supersaturação de soluto—mais comumente de cálcio, que cristaliza e agrega. A supersaturação de cálcio pode ocorrer na Ansa de Henle, onde o cálcio é absorvido. Se não houver volume suficiente de filtrado, o cálcio pode cristalizar e agregar à medida que se move através dos ductos colectores e para a pélvis renal. A maioria das pedras passa sem sintomas; no entanto, se uma pedra é grande o suficiente para bloquear o ureter, pode causar dor substancial.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
Simple Hit Counter