Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

26.4: Migração
TABLE OF
CONTENTS

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Migration
 
TRANSCRIPT

26.4: Migration

26.4: Migração

Migration is long-range, seasonal movement from one region or habitat to another. This common strategy, carried out by many different organisms around the world, is an adaptive response that typically corresponds to changes in an organism’s environment, like resource availability or climate. Migrations can involve huge groups of thousands of animals as well as single individuals traveling alone and can range from thousands of kilometers to just a few hundred meters.

Why Animals Migrate

For many migratory species, food resources are a major driving force behind the migratory movement. The Mexican long-nosed bat is a nectarivore that feeds on the flowers of plants (including agave) and undertakes seasonal migration tied to food availability, which varies seasonally.

Outside of the relatively stable climates of the tropics and subtropics, resource-based migration may also be tightly linked to climate. For example, beginning in early fall, Monarch butterflies migrate from Canada and the northern United States to the forests of Mexico to overwinter. This is linked to the seasonal availability of their host plant, milkweed, but also intrinsically to climate, as the butterflies would be unable to survive in the low temperatures of winter in higher latitudes.

Additionally, animals may undertake migrations to breed or produce young. Adult Atlantic horseshoe crabs inhabit the East Coast of the United States, and migrate to shallower waters each spring to mate and lay eggs in protected sandy shores and bays. Salmon also famously undertake lengthy and dangerous migrations to reach their spawning grounds.

How Animals Migrate

Migration can be obligate or facultative. In obligate migrations, individuals must migrate. In facultative migrations, individuals can choose to migrate. Obligate migrations are often complete migrations, in which all of the individuals in the population participate. However, migrations can also be partial, with only a fraction of the population migrating. Some individuals or groups within a population may also migrate farther than others, which is known as differential migration. For example, dark-eyed juncos migrate different distances into the overwintering grounds based on sex, with females tending to travel farther south than males.

Timing and cues that animals use for migration vary widely but can include factors like day length (photoperiod), resource levels, or temperature. Animals that migrate can also navigate in different ways, potentially using geographical, chemical, or even magnetic cues. Pigeons, for example, use magnetoreception to navigate.

Finally, some species undertake migrations in large or small groups, like geese, whereas others may migrate alone, like the Swainson’s Thrush. In some instances, animals complete their migrations over multiple generations, so that no single individual makes the entire trip. For example, the complete migration cycle of monarch butterflies takes around four generations.

A migração é um movimento sazonal de longo alcance de uma região ou habitat para outro. Essa estratégia comum, realizada por muitos organismos diferentes ao redor do mundo, é uma resposta adaptativa que normalmente corresponde a mudanças no ambiente de um organismo, como disponibilidade de recursos ou clima. As migrações podem envolver grupos enormes de milhares de animais, bem como indivíduos a viajar sozinhos e podem variar de milhares de quilómetros a apenas algumas centenas de metros.

Porque os Animais Migram

Para muitas espécies migratórias, os recursos alimentares são uma grande força motriz por trás do movimento migratório. O morcego Mexicano de nariz comprido é um nectarívoro que se alimenta das flores das plantas (incluindo agave) e realiza migração sazonal ligada à disponibilidade de alimentos, que varia sazonalmente.

Fora os climas relativamente estáveis dos trópicos e subtrópicos, a migração baseada em recursos também pode estar fortemente ligada ao clima. Por exemplo, a partir do início do outono, as borboletas-monarca migram do Canadá e do norte dos Estados Unidos para as florestas do México para o inverno. Isso está ligado à disponibilidade sazonal da sua planta hospedeira, asclepia, mas também intrinsecamente ao clima, já que as borboletas seriam incapazes de sobreviver nas baixas temperaturas do inverno em latitudes mais altas.

Além disso, os animais podem realizar migrações para procriar ou produzir jovens. Caranguejos-ferradura Atlânticos adultos habitam a costa leste dos Estados Unidos, e migram para águas mais rasas a cada primavera para acasalar e colocar ovos em praias e baías de areia protegidas. O salmão também faz famosas migrações longas e perigosas para chegar aos seus locais de desova.

Como os Animais Migram

A migração pode ser obrigatória ou facultativa. Nas migrações obrigatórias, os indivíduos devem migrar. Nas migrações facultativas, os indivíduos podem optar por migrar. As migrações obrigatórias são muitas vezes migrações completas, nas quais todos os indivíduos da população participam. No entanto, as migrações também podem ser parciais, com apenas uma fração da população a migrar. Alguns indivíduos ou grupos dentro de uma população também podem migrar mais longe do que outros, o que é conhecido como migração diferencial. Por exemplo, juncos de olhos escuros migram distâncias diferentes para os terrenos de inverno com base no sexo, com fêmeas a tenderem a viajar mais para sul do que os machos.

A altura e os sinais que os animais usam para migração variam amplamente, mas podem incluir fatores como comprimento do dia (fotoperíodo), níveis de recursos ou temperatura. Animais que migram também podem navegar de diferentes maneiras, potencialmente usando sinais geográficos, químicos ou mesmo magnéticos. Pombos, por exemplo, usam magnetorecepção para navegarem.

Por fim, algumas espécies realizam migrações em grandes ou pequenos grupos, como gansos, enquanto que outras podem migrar sozinhas, como o tordo de Swainson. Em alguns casos, os animais completam as suas migrações ao longo de várias gerações, de modo que nenhum indivíduo faz toda a viagem. Por exemplo, o ciclo de migração completo das borboletas-monarca leva cerca de quatro gerações.


Suggested Reading

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter