Waiting
Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

30.3: Taxas de Especiação
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Speciation Rates
 
TRANSCRIÇÃO

30.3: Taxas de Especiação

Visão Geral

A especiação geralmente ocorre durante uma longa escala de tempo evolucionária, durante a qual a espécie pode ser isolada ou continuar a interagir. Se duas espécies emergentes começarem a cruzar-se, as barreiras reprodutivas podem ser fracas, e o fluxo genético pode ocorrer novamente. Neste ponto, a seleção de híbridos entre as duas populações pode estabilizar o grupo recém-misturado em uma única população ou reforçar a distinção entre eles como novas espécies. A especiação pode ocorrer gradual ou rapidamente, e em alguns casos é pontuada entre longos períodos sem alteração seguido de rápidas taxas de especiação.

Reconexão de Populações

Em casos de especiação onde duas ou mais populações se tenham isolado por algum tempo, elas podem reconectar-se. Por exemplo, em longos períodos de seca ou mudanças climáticas, grandes lagos podem ser divididos em muitos lagos menores, isolando os habitantes. A vasta diversidade de espécies de peixes ciclídeos Africanos foi alimentada, em parte, por períodos de fragmentação dessa população. Quando as condições mudaram, e os lagos fragmentados voltaram a fundir-se, as populações isoladas voltaram a entrar em contato.

Quando ocorre a reconexão, se as barreiras reprodutivas pré-zigóticas forem fracas, indivíduos das duas populações diferentes podem começar a reproduzir-se. Se a aptidão da progenia híbrida for maior ou inalterada em relação aos progenitores, as populações podem integrar-se e fundir-se. Esse processo é referido como estabilidade. No entanto, se os descendentes híbridos forem menos aptos do que os descendentes não híbridos das populações progenitoras ou as barreiras pré-zigóticas para a reprodução forem fortalecidos com o tempo, as duas populações continuarão a divergir mesmo em simpatria—um processo conhecido como reforço. Nos peixes ciclídeos, muitas novas linhagens e espécies foram provavelmente geradas desta forma.

Taxas de Evolução e Especiação

As espécies podem evoluir em diferentes taxas, dependendo do tempo de geração, da força das pressões de seleção e das condições ambientais específicas. Geralmente, a mudança acontece lentamente, com alterações a ocorrer em pequenos incrementos ao longo do tempo até que uma nova espécie que não se cruza mais com outras espécies emerge. Este conceito é conhecido como gradualismo filético. Por exemplo, se pássaros com bicos um pouco mais longos puderem cavar mais fundo em árvores para obter larvas, toda a população pode inclinar-se para bicos mais longos ao longo do tempo, e eventualmente, tornarem-se distintos dos seus parentes de bico curto.

No entanto, também é possível que as espécies mudem com relativa rapidez. Isso está ligado à teoria do equilíbrio pontuado que afirma que as espécies podem sofrer surtos de rápida mudança evolutiva, seguidos por longos períodos de permanência relativamente inalterada. O apoio à teoria vem da observação de que algumas linhagens fósseis parecem mudar pouco por longos períodos de tempo, mostrando em seguida rápida mudança no registo fóssil.

O género de borboleta Heliconius mostra forte seleção para preservar o padrão de cor devido à seleção para mimetismo, e isso geralmente mantém as espécies estáveis mesmo em simpatria com espécies irmãs intimamente relacionadas. No entanto, a rápida especiação pode ocorrer em caso de mutação ou hibridização que produz um novo fenótipo “apto”. A evolução e a especiação em geral podem proceder de várias maneiras e escalas de tempo diferentes.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
Simple Hit Counter