Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

31.4: Limites a Seleção Natural
TABLE OF
CONTENTS

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Limits to Natural Selection
 
TRANSCRIPT

31.4: Limits to Natural Selection

31.4: Limites a Seleção Natural

Organisms that are well-adapted to their environment are more likely to survive and reproduce. However, natural selection does not lead to perfectly adapted organisms. Several factors constrain natural selection.

For one, natural selection can only act upon existing genetic variation. Hypothetically, red tusks may enhance elephant survival by deterring ivory-seeking poachers. However, if there are no gene variants—or alleles—for red tusks, natural selection cannot increase the prevalence of red tusks. The allele must first exist or arise through mutation.

Tradeoffs also limit natural selection. While an allele for red tusks may protect against poaching, it might also make tusks brittle and less useful for fighting and foraging.

Tradeoffs at the genomic level exist because natural selection acts upon individuals rather than alleles. Neighboring genes on the same chromosome are often linked and inherited together. If an allele for red tusks is passed on with an allele causing infertility, red tusks could disappear because the inherited combination does more harm than good. 

Intermediate traits can also constrain natural selection. Imagine an elephant population with three variants of tusks: traditional, red tusks, and an intermediate rose. The rose tusks may be coveted by poachers, like traditional tusks, and brittle, like red tusks. The harmfulness of the intermediate phenotype could restrict the transition from traditional to red tusks in elephant populations.

While natural selection generally increases a population’s ability to survive and reproduce, other evolutionary mechanisms might have the opposite effect. Harmful alleles can be introduced and helpful alleles erased by migration (i.e., gene flow) or chance events (i.e., genetic drift), like natural disasters. Evolution is not a movement toward perfection, but a consequence of combined pressures on populations.

Organismos que estão bem adaptados ao seu ambiente são mais propensos a sobreviver e se reproduzir. No entanto, a seleção natural não leva a organismos perfeitamente adaptados. Vários fatores restringem a seleção natural.

Por um tempo, a seleção natural só pode atuar sobre a variação genética existente. Hipoteticamente, presas vermelhas podem aumentar a sobrevivência dos elefantes, dissuadindo caçadores caçadores em busca de marfim. No entanto, se não houver variantes genéticas — ou alelos — para presas vermelhas, a seleção natural não pode aumentar a prevalência de presas vermelhas. O alelo deve primeiro existir ou surgir através de mutação.

As trocas também limitam a seleção natural. Embora um alelo para presas vermelhas possa proteger contra a caça furtiva, ele também pode tornar as presas frágeis e menos úteis para lutar e forjar.

Trocas no nível genômico existem porque a seleção natural age sobre indivíduos em vez de alelos. Genes vizinhos no mesmo cromossomo são frequentemente ligados e herdados juntos. Se um alelo para presas vermelhas é passado com um alelo causando infertilidade, presas vermelhas podem desaparecer porque a combinação herdada faz mais mal do que bem.

Características intermediárias também podem restringir a seleção natural. Imagine uma população de elefantes com três variantes de presas: presas vermelhas tradicionais e uma rosa intermediária. As presas de rosa podem ser cobiçadas por caçadores furtivos, como presas tradicionais, e quebradiças, como presas vermelhas. A nocividade do fenótipo intermediário poderia restringir a transição de presas tradicionais para vermelhas em populações de elefantes.

Enquanto a seleção natural geralmente aumenta a capacidade de uma população de sobreviver e se reproduzir, outros mecanismos evolutivos podem ter o efeito oposto. Alelos nocivos podem ser introduzidos e alelos úteis apagados pela migração (ou seja, fluxo genético) ou eventos acaso (ou seja, deriva genética), como desastres naturais. A evolução não é um movimento em direção à perfeição, mas uma consequência de pressões combinadas sobre as populações.


Suggested Reading

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter