Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

33.1: Árvores Filogenéticas
TABLE OF
CONTENTS

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Phylogenetic Trees
 
TRANSCRIPT

33.1: Phylogenetic Trees

33.1: Árvores Filogenéticas

Phylogenetic trees come in many forms. It matters in which sequence the organisms are arranged from the bottom to the top of the tree, but the branches can rotate at their nodes without altering the information. The lines connecting individual nodes can be straight, angled, or even curved.

The length of the branches can depict time or the relative amount of change among organisms. For instance, the branch length might indicate the number of amino acid changes in the sequence that underlies the phylogenetic tree. The exact meaning must be shown clearly on a legend accompanying the phylogenetic tree. If such a legend is not present, the branch length is arbitrary, and the reader should not infer any information.

Trees may or may not have a root. The tree is unrooted if the most recent common ancestor of all organisms of interest is unknown. In this case, the depiction of the phylogenetic relationships resembles a snowflake, not a tree. The scientist can root the tree by including an outgroup into the analysis. An outgroup is an organism that is not closely related to any of the organisms that the scientist wishes to arrange on the tree.

As árvores filogenéticas existem em muitas formas. É importante a sequência em que os organismos são dispostos da base para o topo da árvore, mas os galhos podem rodar nos seus nós sem alterar a informação. As linhas que ligam nós individuais podem ser retas, angulares ou até curvas.

O comprimento dos ramos pode representar o tempo ou a quantidade relativa de mudança entre os organismos. Por exemplo, o comprimento do ramo pode indicar o número de alterações de aminoácidos na sequência que está por trás da árvore filogenética. O significado exato deve ser mostrado claramente em uma legenda que acompanha a árvore filogenética. Se tal legenda não estiver presente, o comprimento do ramo é arbitrário, e o leitor não deve inferir qualquer informação.

As árvores podem ou não ter uma raiz. A árvore é desenraizada se o ancestral comum mais recente de todos os organismos de interesse é desconhecido. Neste caso, a representação das relações filogenéticas assemelha-se a um floco de neve, não a uma árvore. O cientista pode enraizar a árvore incluindo um grupo externo na análise. Um grupo externo é um organismo que não está intimamente relacionado com nenhum dos organismos que o cientista deseja organizar na árvore.


Suggested Reading

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter