Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

34.8: Crescimento Primário e Secundário em Raízes e Rebentos
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Primary and Secondary Growth in Roots and Shoots
 
TRANSCRIÇÃO

34.8: Crescimento Primário e Secundário em Raízes e Rebentos

Plantas vasculares, que representam mais de 90% da vegetação da Terra, sofrem crescimento primário—o que alonga raízes e rebentos. Muitas plantas terrestres, notavelmente plantas lenhosas, também sofrem crescimento secundário—o que engrossa raízes e rebentos.

O crescimento primário e secundário podem ocorrer simultaneamente em uma planta. Enquanto que o crescimento primário ocorre em regiões mais recentes, o crescimento secundário ocorre em regiões que concluíram o crescimento primário. Há sobreposições e distinções entre o crescimento da raiz e o crescimento de rebentos.

Os meristemas apicais permitem o crescimento primário tanto de raízes como de rebentos - com o crescimento primário dos rebentos a começar no meristema apical dos rebentos e o crescimento primário das raízes a começar no meristema apical das raízes.

Células em divisão no meristema apical das raízes e dos rebentos diferenciam-se nos mesmos meristemas primários—a protoderme, o meristema fundamental e o procâmbio. Tanto nas raízes como nos rebentos, esses meristemas primários desenvolvem-se nos mesmos tipos de tecido; a protoderme, o meristema fundamental e o procâmbio desenvolvem-se, respectivamente, em tecido dérmico, fundamental e vascular.

No entanto, há diferenças entre os tecidos específicos produzidos em raízes e rebentos. Nas raízes, a epiderme contém pêlos de raízes, que são responsáveis pela maior parte da superfície da raiz. Além disso, ao contrário do tecido fundamental de eucotiledóneas—as plantas com flor mais comuns—o tecido fundamental radicular não é dividido em medula e córtex. Além disso, o meristema apical dos rebentos contém folhas primordiais, que formam folhas.

Em comparação com o crescimento primário, o crescimento secundário é mais semelhante entre raízes e rebentos. O crescimento secundário é possibilitado por dois tipos de meristemas laterais, que percorrem os comprimentos das raízes e rebentos.

O câmbio vascular, entre o xilema primário e o floema primário, cria uma camada de xilema secundário (madeira) e floema secundário a cada ano em raízes e rebentos.

O câmbio cortical, um componente da casca, está localizado fora dos tecidos vasculares. Tanto em raízes como em rebentos, produz cortiça e feloderme para formar a periderme—que substitui a epiderme.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter