Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

35.2: O Ciclo de Vida das Angiospérmicas
TABLE OF
CONTENTS

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
The Angiosperm Life Cycle
 
TRANSCRIPT

35.2: The Angiosperm Life Cycle

35.2: O Ciclo de Vida das Angiospérmicas

Plants have a life cycle split between two multicellular stages: a haploid stage—with cells containing one set of chromosomes—and a diploid stage—with cells containing two sets of chromosomes. The haploid stage is the gamete-producing gametophyte, and the diploid stage is the spore-producing sporophyte.

Today, most plants grow from seeds and produce flowers and fruit; such plants are called angiosperms. Angiosperms begin as seeds—structures consisting of a protective seed coat, a nutrient supply, and an embryo. The seed develops into a sporophyte—the familiar, flower-producing plant form.

The reproductive life cycle of angiosperms begins with flowering. Stamens and carpels contain sporangia, structures with spore-producing cells called sporocytes. Sporophytes produce spores as either eggs or sperm, depending on their origin.

For example, male spores—called microspores—are produced within anthers at the tips of stamens. A microspore develops into a pollen grain—the male gametophyte. A pollen grain contains a tube cell and a generative cell, which develops into sperm.

A carpel consists of an ovary and its ovules. Female spores, called megaspores, are produced within ovules. A megaspore develops into an embryo sac—the female gametophyte—which contains the egg.

Pollination allows the sperm-producing pollen grain to reach the egg-containing embryo sac. While the embryo sac is stationary, pollen grains can be carried by wind, water, or animals.

For sperm to fertilize an egg, pollen released from the anthers must reach the sticky stigma at the tip of a carpel. Then, the tube cell of the pollen grain becomes a pollen tube, extending down the carpel to the ovule.

Angiosperms undergo a type of double fertilization that produces an embryo and an endosperm, a nutrient store. The embryo and endosperm are packed into a seed coat, forming a seed. As the ovules become seeds, the ovary typically develops into fruit that helps protect and distribute the seeds.

As plantas têm um ciclo de vida dividido entre dois estágios multicelulares: um estágio haplóide—com células que contêm um conjunto de cromossomas—e um estágio diplóide—com células que contêm dois conjuntos de cromossomas. O estágio haplóide é o gametófito produtor de gâmetas, e o estágio diplóide é o esporófito produtor de esporos.

Atualmente, a maioria das plantas cresce a partir de sementes e produz flores e frutos; essas plantas são chamadas angiospérmicas. As angiospérmicas começam como sementes—estruturas que consistem em uma camada protetora de sementes, um suprimento de nutrientes e um embrião. A semente desenvolve-se em um esporófito—a forma familiar de planta, produtora de flores.

O ciclo de vida reprodutivo das angiospérmicas começa com a floração. Estames e carpelos contêm esporângios, estruturas com células produtoras de esporos chamadas esporócitos. Os esporócitos produzem esporos como óvulos ou esperma, dependendo da sua origem.

Por exemplo, os esporos masculinos—chamados microsporos—são produzidos dentro de anteras nas extremidades dos estames. Um microsporo desenvolve-se em um grão de pólen—o gametófito masculino. Um grão de pólen contém uma célula de tubo e uma célula generativa, que se desenvolvem em esperma.

Um carpelo consiste em um ovário e os seus óvulos. Os esporos femininos, chamados megasporos, são produzidos dentro dos óvulos. Um megasporo desenvolve-se em um saco de embrião—o gametófito feminino—que contém o óvulo.

A polinização permite que o grão de pólen produtor de esperma chegue ao saco de embrião contendo o óvulo. Enquanto que o saco de embrião é estacionário, os grãos de pólen podem ser transportados pelo vento, água ou animais.

Para o esperma fertilizar um óvulo, o pólen libertado das anteras deve atingir o estigma pegajoso na extremidade de um carpelo. Em seguida, a célula do tubo do grão de pólen torna-se um tubo de pólen, estendendo-se pelo carpelo até ao óvulo.

As angiospérmicas passam por um tipo de dupla fertilização que produz um embrião e um endosperma, um armazenamento de nutrientes. O embrião e o endosperma são embalados em um revestimento de sementes, formando uma semente. À medida que os óvulos se tornam sementes, o ovário normalmente desenvolve-se em frutos que ajudam a proteger e distribuir as sementes.


Suggested Reading

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter