Waiting
Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

35.6: Cultura de Tecido Vegetal
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
Plant Tissue Culture
 
TRANSCRIÇÃO

35.6: Cultura de Tecido Vegetal

A cultura de tecido vegetal é amplamente utilizada tanto na ciência básica como aplicada. As aplicações vão desde estudos de desenvolvimento de plantas até estudos genéticos funcionais, melhoria de culturas, micropropagação comercial, eliminação de vírus e conservação de espécies raras.

A cultura de tecido vegetal depende da capacidade do tecido vegetal de dar origem a toda uma nova planta quando fornecida com um meio de crescimento e ambiente adequado. Essa capacidade de células ou tecidos vegetais é chamada de ‘totipotência’.

Os passos fundamentais da cultura de tecido vegetal são quatro:

  1. Selecionar uma planta progenitora saudável (explante).
  2. Eliminar qualquer contaminação microbiana de qualquer superfície exposta do explante.
  3. Inocular o explante em um meio de cultura adequado.
  4. Incubar o explante em ambiente controlado com temperatura, humidade, qualidade do ar, e iluminação adequadas.

Existem também quatro tipos diferentes de cultura de tecidos vegetais, que podem ser escolhidos com base nos objetivos da cultura, ou espécies vegetais:

  1. cultura de células (como células de gâmetas, suspensão celular, e cultura de protoplastos).
  2. cultura de tecidos (calo e tecidos diferenciados).
  3. cultura de órgãos (quaisquer órgãos como raízes, rebentos, e anteras).

Uma das aplicações populares da cultura de tecido vegetal é a propagação clonal in vitro - também conhecida como micropropagação. A cultura de tecido vegetal, neste caso, pode auxiliar na reprodução de plantas que têm problemas com a germinação de sementes (plantas recalcitrantes), ou têm sementes de viabilidade curta. Embora a micropropagação possa ser aplicada a qualquer espécie, é recomendada para plantas comercialmente essenciais ou aquelas em risco de extinção. Por exemplo, a micropropagação é amplamente utilizada para o cultivo de orquídeas como Paphiopedilum delenatii - uma espécie nativa dos Himalaias. Essas orquídeas são tradicionalmente propagadas através de sementes. No entanto, leva cerca de 2-3 anos para que orquídeas maduras as produzam. Portanto, a cultura de tecidos vegetais tornou-se um método ideal para proteger esta espécie da extinção e alcançar a viabilidade comercial.

A micropropagação pode ser realizada de três maneiras diferentes:

  1. usando um botão apical ou axilar.
  2. usando o botão adventício.
  3. através da formação de um embrião somático, utilizando células somáticas de plantas parentais.

O sucesso de cada uma das técnicas depende da base genética, do meio de cultura, e das condições de incubação.

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
Simple Hit Counter