Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

7.12: O Princípio da Exclusão de Pauli
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Chemistry

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
The Pauli Exclusion Principle
 
TRANSCRIÇÃO

7.12: O Princípio da Exclusão de Pauli

A disposição dos eletrões nas orbitais de um átomo é denominada a sua configuração eletrónica. Descrevemos uma configuração eletrónica com um símbolo que contém três partes de informação:

  1. O número da camada quântica principal, n,
  2. A letra que designa o tipo de orbital, l), e
  3. Um número sobrescrito que designa o número de eletrões nessa subcamada em particular.

Por exemplo, a notação 2p4 indica quatro eletrões em uma subcamada p (l = 1) com um número quântico principal (n) de 2. A notação 38 indica oito eletrões na subcamada d (l = 2) da estrutura principal para a qual n = 3.

Embora os três números quânticos funcionem bem para descrever orbitais de eletrões, algumas experiências mostraram que não eram suficientes para explicar todos os resultados observados. Foi demonstrado na década de 1920 que quando os espectros de linha do hidrogénio são examinados em resolução extremamente alta, algumas linhas não são realmente picos únicos mas, em vez disso, pares de linhas com espaçamento próximo. Esta é a chamada estrutura fina do espectro, e implica que há pequenas diferenças adicionais nas energias dos eletrões mesmo quando estão localizadas na mesma orbital. Estas observações levaram Samuel Goudsmit e George Uhlenbeck a propor que os eletrões têm um quarto número quântico. Eles chamaram a isto o número quântico de spin ou ms.

Em um campo magnético aplicado, um eletrão tem duas orientações possíveis com energias diferentes, uma com rotação para cima, alinhada com o campo magnético e outra com rotação para baixo, alinhada contra ele.

O quarto número quântico, o número quântico de spin (ms) descreve estes dois estados de rotação diferentes de um eletrão. Um número quântico de spin tem dois valores possíveis, −1/2 (rotação para baixo) e +1/2 (rotação para cima).

O spin de um eletrão descreve uma "rotação" intrínseca do eletrão ou "spinning". Cada eletrão atua como um pequeno íman ou um pequeno objeto rotativo com um momentum angular, ou como um laço com uma corrente elétrica, mesmo que essa rotação ou corrente não possa ser observada em termos de coordenadas espaciais.

A magnitude do spin total de um eletrão só pode ter um valor, e um eletrão só pode “rodar” em um dos dois estados quantizados. Um é chamado de estado α, com o componente z do spin estando na direção positiva do eixo z. Isto corresponde ao número quântico de spin ms = +1/2. O outro é chamado de estado β, com o componente z do spin sendo negativo e ms = −1/2.

Qualquer eletrão, independentemente da orbital atómica em que está localizado, só pode ter um desses dois valores de número quântico de spin. As energias de eletrões com diferentes spins são diferentes se for aplicado um campo magnético externo.

Um eletrão em um átomo é completamente descrito por quatro números quânticos: n, l, ml, e ms. Os três primeiros números quânticos definem a orbital, e são interdependentes, enquanto que o quarto número quântico é independente de outros números quânticos, pois descreve uma propriedade intrínseca de eletrões chamada spin. Um físico Austríaco Wolfgang Pauli (Prémio Nobel de Física: 1945) formulou um princípio geral que dá a última informação de que precisamos para entender o comportamento geral de eletrões em átomos. O princípio da exclusão de Pauli pode ser formulado da seguinte forma: Nenhuns dois eletrões no mesmo átomo podem ter exatamente o mesmo conjunto de todos os quatro números quânticos. O que isto significa é que dois eletrões podem partilhar a mesma orbital (o mesmo conjunto dos números quânticos n, l, e ml) apenas se os seus números quânticos de spin tiverem valores diferentes. Como o número quântico de spin (ms) pode ter apenas dois valores de +1/2 e -1/2, não mais de dois eletrões podem ocupar a mesma orbital (e se dois eletrões estiverem localizados na mesma orbital, devem ter spins opostos). Portanto, qualquer orbital atómica pode ser preenchida apenas por zero, um, ou dois eletrões.

O estilo do diagrama orbital da configuração eletrónica representa cada orbital dentro de uma subcamada ocupada como uma caixa ou linha e cada eletrão como uma seta. O diagrama orbital do hidrogénio, com uma configuração eletrónica de 1s1, é:

Figure1

Uma seta para cima indica um meio spin positivo, ou spin para cima, e uma seta para baixo significa um meio spin negativo, ou spin para baixo. O diagrama orbital do hidrogénio, tem portanto, uma seta para cima.

A configuração eletrónica do hélio é 1s2. Os dois eletrões têm três números quânticos idênticos, uma vez que pertencem à mesma camada e subcamada. Os seus números quânticos de spin são diferentes, de acordo com o princípio de exclusão de Pauli. Os eletrões com spins opostos são chamados emparelhados se ocuparem a mesma orbital.

Figure2

Este texto é adaptado de Openstax, Chemistry 2e, Section 6.3: Development of Quantum Theory. 

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
simple hit counter