Waiting
Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove

4.4: A Constante de Ligação de Equilíbrio e a Força de Ligação
TABELA DE
CONTEÚDO

JoVE Core
Molecular Biology

A subscription to JoVE is required to view this content. You will only be able to see the first 20 seconds.

Education
The Equilibrium Binding Constant and Binding Strength
 
TRANSCRIÇÃO

4.4: A Constante de Ligação de Equilíbrio e a Força de Ligação

A constante de ligação de equilíbrio (Kb) quantifica a força de uma interação proteína-ligando. Kb pode ser calculado da seguinte forma quando a reação está em equilíbrio:

Eq1

onde  P e L são a proteína não ligada e o ligando, respectivamente, e PL é o complexo proteína-ligando. 

Como a quantidade de ligando ligado também está relacionada com a taxa de ligação, experiências também podem determinar Kb examinando as taxas de associação (kon) e dissociação (koff) de proteína-ligando usando a seguinte proporção:

Eq1

Assim, duas categorias de  ensaios de ligação são utilizadas para determinar a constante de ligação de equilíbrio – as que medem as concentrações em equilíbrio e as que medem a cinética de uma reacção. No caso, a reação deve estar em equilíbrio no momento da medição.

O método de determinação das concentrações de equilíbrio depende da sensibilidade desejada e da facilidade de deteção do sinal. Por estas razões, os ensaios espectroscópicos são mais amplamente utilizados. Nestas experiências, a reação produz uma alteração de absorvância de um reagente ou de um produto em um determinado comprimento de onda, detectável por um espectrofotómetro UV-Vis. Alternativamente, o reagente ou produto pode ser marcado com uma sonda fluorescente ou pode conter um fluoróforo intrínseco. Em seguida, o progresso da reação pode ser medido a partir da alteração da fluorescência. Estes ensaios são realizados variando as concentrações de um reagente, enquanto que a restante experiência é mantida constante. Os resultados podem então ser colocados em gráfico e analisados por vários métodos de ajuste de curvas.

Interações entre proteínas e ligandos também são estudadas utilizando uma variedade de técnicas bioquímicas e espectroscópicas. A análise estrutural, utilizando a cristalografia de raios X e a espectroscopia NMR, auxilia na previsão das interações proteína-ligando através de simulações moleculares. Abordagens teóricas e computacionais, como estudos de ligação proteína-ligando, são usadas extensivamente para caracterizar a posição e interações de moléculas pequenas de ligandos, incluindo candidatos a fármacos. O desenvolvimento de fármacos auxiliado por computador é uma alternativa rápida e de baixo custo para acelerar o ritmo da testagem de fármacos convencional de tentativa e erro.


Sugestão de Leitura

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
Simple Hit Counter