Waiting
Login processing...

Trial ends in Request Full Access Tell Your Colleague About Jove
JoVE Science Education
Biology II: Mouse, Zebrafish, and Chick

A subscription to JoVE is required to view this content.
You will only be able to see the first 20 seconds.

 
Click here for the English version

Cuidados e Manutenção Básica do Mouse

Overview

Camundongos (Mus musculus) são pequenos roedores que se reproduzem e amadurecem sexualmente rapidamente, tornando-os perfeitamente adequados para gerar grandes colônias animais para pesquisa biológica. Em comparação com outras espécies de mamíferos, os camundongos são simples e baratos de manter em laboratório. No entanto, as colônias de ratos têm necessidades específicas de criação que são fundamentais para preservar a saúde e a segurança dos animais, bem como a reprodutibilidade experimental.

Este vídeo demonstra práticas padrão que garantem que os ratos sejam tratados da forma mais humana possível dentro da instalação de animais de laboratório, ou vivarium. A discussão começa revendo uma configuração típica de carcaça de mouse, consistindo em uma gaiola de plástico equipada com uma camada de roupa de cama macia e material de aninhamento. As pelotas de alimentos pré-formuladas (também conhecidas como chow) que compõem a dieta típica do rato também são introduzidas. Para facilitar os experimentos realizados em camundongos, são demonstradas práticas seguras de manejo animal, incluindo técnicas comuns de contenção, como "scruffing", e as estratégias utilizadas pelos pesquisadores para acompanhar os camundongos individuais dentro da instalação. Por fim, são discutidas manipulações experimentais de moradia e dieta de camundongos, além de uma das aplicações mais comuns da técnica de scruffing — a realização de injeções.

Procedure

or Start trial to access full content. Learn more about your institution’s access to JoVE content here

A pecuária adequada é essencial para a saúde e produtividade dos animais. Manter condições limpas e estáveis mantém os animais livres de infecção e contaminação. Ele também fornece um ambiente livre de estresse para ratos, que não é apenas humano, mas também incentiva o comportamento normal do rato. Este vídeo discutirá como os ratos são alojados e alimentados em uma instalação animal de pesquisa, ou vivarium, bem como procedimentos adequados de manuseio para prevenir lesões e infecções.

Para entender como criar uma instalação de camundongos feliz e saudável, devemos primeiro entender o ambiente natural do organismo. Então, como é o habitat natural de um rato?

Os camundongos estão entre os mamíferos mais adaptáveis e são encontrados em quase todos os lugares da Terra. Na natureza, essas criaturas ambientalmente flexíveis se sentem mais seguras e aconchegantes dentro de um ninho ou toca. Os ratos passam a maior parte do dia em suas tocas porque são noturnos, o que significa que seu ritmo circadiano, ou horário natural de sono/vigília os mantém acordados e festejando quando você está aconchegante em sua toca.

Então, como fazemos os ratos se sentirem em casa no vivarium? Roedores são normalmente mantidos em gaiolas pequenas e plásticas com fundo e laterais sólidos. Para absorver resíduos e fornecer isolamento, as gaiolas são equipadas com uma camada de cama composta de corncobs desfiados ou aparas de madeira. Este material deve ser alterado muitas vezes para mantê-lo limpo e seco. As condições ideais de habitação também incorporam algum material de aninhamento solto, o que permite que os ratos construam uma toca, assim como fariam na natureza.

Tente como podemos para tornar sua casa confortável, ratos têm o hábito de vagar. Para evitar a fuga, uma tampa metálica é colocada em cima da gaiola. Convenientemente, as tampas são geralmente equipadas com um distribuidor de alimentos ou "funil" e um porta-garrafas de água. Uma tampa de tampa plástica com filtros de ar também é adicionada para proteger os ratos de contaminantes externos.

Devido à sua natureza social, vários ratos podem ser alojados juntos. Por exemplo, até 5 fêmeas podem compartilhar uma gaiola confortavelmente. Os machos, no entanto, só podem compartilhar uma gaiola se forem introduzidos no início da vida. Camundongos machos que são introduzidos como adultos lutarão por seu território de gaiola, levando a ferimentos e possível morte.

A pesquisa de ratos geralmente requer muito mais animais do que caberá em uma única gaiola. Um grande número de ratos são mantidos em um vivarium, onde gaiolas são colocadas em racks, permitindo que mais ratos sejam armazenados em uma quantidade mínima de espaço.

Dentro da instalação do mouse, o ritmo circadiano natural dos ratos é mantido definindo as luzes na instalação em um ciclo claro/escuro de 14 horas.

Agora que você sabe onde os ratos de laboratório vivem, vamos discutir como eles são alimentados. Em seu habitat natural, os ratos são principalmente vegetarianos. Eles gostam de carboidratos, e vão escolher grãos de cereais em vez da maioria dos outros alimentos.

No laboratório, a comida de rato é fornecida na forma de pelotas. Além de deliciosos carboidratos, as pelotas incluem um equilíbrio de gordura, proteínas, vitaminas e minerais. A composição precisa da comida pode variar dependendo da tensão e condição experimental. Normalmente, comida e água estão disponíveis para o ad libitum do rato: eles têm acesso a comida e água quando quiserem.

Em seguida, vamos discutir como lidar adequadamente com ratos para seus experimentos. Antes de iniciar qualquer experimento, a aprovação para trabalhar com camundongos deve ser concedida pela IACUC: seu Comitê Institucional de Cuidados e Uso de Animais. O IACUC existe para garantir que seus experimentos sejam conduzidos sob as circunstâncias mais humanas possíveis.

Uma vez aprovada, pesquisas importantes podem começar! A maioria das instalações de camundongos são SPF, ou sem patógenos específicos, o que significa que é tomado muito cuidado para manter agentes infecciosos e contaminantes fora da instalação.

Para evitar a introdução de novos patógenos (ou ser expostos a experimentais), sempre coloque epi, ou equipamento de proteção individual, antes de entrar na instalação. Luvas também são imperdíveis ao manusear ratos tanto no vivarium quanto no laboratório. Para certos experimentos, como aqueles que avaliam o comportamento do rato, os ratos devem primeiro se acostumar a ser manipulados por humanos.

Ratos que não estão acostumados a serem manipulados são facilmente estressados, o que pode levar a lesões para você - ai! — ou para o rato. Camundongos estressados também tendem a apresentar comportamentos atípicos, como a agressão aumentada, o que pode confundir seus dados.

Mesmo camundongos aclimatados devem ser manuseados cuidadosamente para evitar lesões. Para remover um rato da gaiola, pegue o rato na base da cauda e, em seguida, deixe o animal segurar as barras da tampa da gaiola de metal. Para segurar o animal com mais segurança, levante o traseiro do animal ligeiramente, segure a cauda com seu anel e dedos mindinhos, e segure o rato através dos ombros no "scruff" de seu pescoço.

Uma vez que você fica mais confortável, você pode achar mais fácil pegar o animal por scruff primeiro e, em seguida, dobrar a cauda.

Para controlar os ratos, as gaiolas são rotuladas para indicar quem vive dentro. Para distinguir indivíduos dentro de uma gaiola, os pesquisadores usam muitas estratégias, incluindo socos nos ouvidos, etiquetas de ouvido e marcas de cauda.

Ao realizar experimentos em camundongos como os que você está prestes a ver, muitas vezes é necessário identificar animais específicos.

Agora que você sabe alguns dos fundamentos da criação de ratos, vamos dar uma olhada em como esses princípios são ajustados para protocolos de laboratório.

Muitos experimentos utilizam gabinetes de mouse modificados para testar memória, comportamento baseado em recompensa ou preferência olfativa. Neste experimento, a capacidade de ratos selvagens ou camundongos nocautear para lembrar a saída deste labirinto de águas rasas é comparada para determinar se um gene específico influencia a memória espacial.

A dieta do rato também pode ser adaptada para se adequar às condições de um experimento. Esses pesquisadores aproveitam a afeição do rato por carboidratos para medir a destreza manual. Camundongos mais velhos demoram mais para consumir a massa devido a deteriorações relacionadas à idade na destreza, como manuseio e queda ineficientes de uma pata.

Alguns estudos exigem a administração de agentes experimentais para o camundongo, que muitas vezes é realizado por injeção. Segurar camundongos pelo scruff fornece acesso claro ao abdômen, facilitando a administração de tratamentos experimentais por injeção intraperitoneal diretamente na cavidade corporal.

Você acabou de assistir a introdução de JoVE à criação de ratos. Neste vídeo revisamos como os ratos são alojados e alimentados em laboratório, como lidar com ratos com cuidado (para seu próprio bem) bem como algumas aplicações diferentes que requerem um bom conhecimento do cuidado com o mouse. Obrigado por assistir!

Subscription Required. Please recommend JoVE to your librarian.

Disclosures

Nenhum conflito de interesses declarado.

Get cutting-edge science videos from JoVE sent straight to your inbox every month.

Waiting X
Simple Hit Counter